Acesso a bons programas é ‘fator de sucesso’

Acesso a bons programas é ‘fator de sucesso’ de empreendedores negros. Os desafios para empreender no país não têm raça. Acesso a redes empresariais e mercados de capitais e gestão são os principais.

O empreendedorismo negro, no entanto, precisa enfrentar outras barreiras além dessas. “São barreiras que são históricas, em termos de acesso à educação de qualidade, de renda”, explica Luana Garcia, especialista em Desenvolvimento Social da Divisão de Gênero e Diversidade do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Ela cita que o principal “fator de sucesso” para que os negócios liderados por afrodescendentes decolem seria “o acesso a programas de qualidade que permitam que eles se tornem empresas investíveis e atrativas para o mercado de capitais”.

Pensando nisso, o BID criou o Inova Capital, um programa de apoio a empreendedores afro-brasileiros. “A gente trabalhou na prospecção de empreendedores afrodescendentes de alto potencial de crescimento. Como resultado, a gente identificou uma carteira de projetos que poderiam receber investimento.”

Como parte do programa, especialistas americanos tiveram no evento O Ecossistema para a Promoção do Crescimento de Negócios de Alto Impacto Social, na manhã desta quarta-feira (17). “O aprendizado é poder escutar do próprio SBA (Small Business Administration), o nosso Sebrae, quais foram as políticas que funcionaram.”