Oscar 2016 e a ausência de negros na lista

‘É claro que estou desapontada’, disse Cheryl Boone ao site Deadline. Primeira mulher negra a ocupar o cargo falou em promover a diversidade.

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, entidade responsável pelo Oscar, lamentou a ausência de filmes estrelados por atores negros na lista de indicados da cerimônia de 2016, divulgada nesta quinta-feira (14). Existem 20 candidatos nas categorias destinadas a reconhecer as melhores interpretações do ano, e nenhum deles é negro.

Em entrevista ao site americano Deadline, Cheryl Boone Isaacs, primeira mulher negra eleita para o cargo (ela assumiu em 2013), comentou: “É claro que eu estou desapontada, mas isso não tira a grandeza [dos filmes indicados]”.

“Este foi um ano incrível para o cinema, sob todos os aspectos. [Mas] Você nunca sabe o que vai estar na folha de papel [com os nomes dos indicados] até vê-la.” Ainda de acordo com o Deadline, Cheryl Boone reconheceu que os esforços da Academia para promover a diversidade estão progredindo muito lentamente. “Nós temos de acelerar isso”, concluiu.

Nos últimos anos, a Academia tem recebido críticas pelo fato de seus membros serem majoritariamente mais velhos e brancos. Em julho, a Academia fez convites a artistas negros como David Oyelowo, Gugu Mbatha-Raw e F. Gary Gray. Além disso, recentemente anunciou a iniciativa A2020, cujo objetivo é diversificar ainda mais o grupo e incentivar a indústria cinematográfica a dar mais oportunidades para as minorias.

Com relação ao Oscar 2016, o Deadline cita especificamente a ausência, na disputa da estaueta de melhor filme, dos longas “Straight Outta Compton – A história do N.W.A.”, sobre o icônico grupo de rap dos anos 1990, “Um homem entre gigantes”, com Will Smith em elogiadíssima atuação, e “Beasts of no nation”, produção do Netflix com Idris Elba também em performance de grande aprovação da crítica.